Crónica: Senators 3 – 6 Leafs

Com a presença de Colton Orr, Frazer McLaren e Matt Kassian no alinhamento, era esperado um jogo violento. Quando Randy Carlyle colocou Orr no início do jogo esses receios tornaram-se ainda mais fortes. No entanto, estes jogadores quase que nem tocaram no disco. Orr jogou 2:27 e McLaren jogou 58 segundos, transformando o jogo numa batalha entre 3 linhas de cada lado.

A pouca utilização destes jogadores, permitiu que as verdadeiras estrelas brilhassem. Phil Kessel marcou um hat-trick e os Leafs acabaram por vencer por 6-3.

Os Leafs beneficiaram de 3 powerplays no 1º período, mas não conseguiram finalizar. A capacidade dos Leafs para provocar penalidades tem sido muito importante nas últimas vitórias. Nazem Kadri é um especialista na arte de sofrer faltas. Ele lidera a NHL com 34 faltas sofridas. Apesar disso, foram os Senators a abrir o marcador através de Chris Neil.

Os Senators ampliaram a vantagem no início do 2º período, com um golo de Colin Greening, mas os Leafs responderam com a dupla habitual: JVR a assistir para o 1º golo de Kessel. Joffrey Lupul empatou imediatamente a seguir, depois de Kadri ter empurrado Cody Ceci contra as bordas. Não foi assinalada a penalidade, por isso não há nada a fazer em relação ao golo, mas o lance vai merecer a atenção da comissão disciplinar da liga.

No 3º período, Phil Kessel completou o hat-trick com mais dois golos e assistiu Tyler Bozak, confirmando a 9ª vitória dos Leafs nos últimos 11 jogos. Com os 3 golos de ontem, Kessel chega aos 30 golos pela 6ª vez na sua carreira e está apenas atrás de Alex Ovechkin na lista dos melhores marcadores.

Anúncios

Blogger descobre problemas financeiros dos Senators

Numa silly season mais silly do que o habitual, a história de Travis Yost tem passado despercebida no calor dos dias de verão. Yost é um blogger que passou o verão a investigar a fundo a situação financeira dos Ottawa Senators e do seu dono, Eugene Melnyk. Uma reportagem detalhada do Ottawa Citizien veio confirmar grande parte das afirmações de Yost e trazer esta história aos olhos de um público mais generalizado.

Segundo o jornal da capital do Canadá, os Senators têm uma dívida que chega aos $94 milhões de dólares, que terá levado a uma intervenção da liga para evitar um episódio semelhante ao que aconteceu com Jim Vanderbeek e os New Jersey Devils. Mas, Travis Yost foi o primeiro a denunciar o colapso financeiro do império de Melnyk.

site Hockeybuzz é conhecido pelo seu sensacionalismo, mas tem em Yost um escritor talentoso e que cumpre todas as regras do jornalismo de investigação, nunca utilizando nada para além de factos (mais ou menos comprovados) nas suas peças. Numa série de 10 artigos publicados entre 2 de Julho e 25 de Agosto, Yost narrou com provas documentadas o declínio dos negócios de Eugene Melnyk.

Tudo começou em Julho com a polémica em redor do antigo capitão dos Senators, Daniel Alfredsson. Segundo Brian Murray, os Senators passaram um cheque em branco a Alfredsson e prometeram ao sueco reforçar a equipa para um ataque forte à Stanley Cup. Mas ao mesmo tempo, Eugene Melnyk disse à imprensa que se Alfredsson tivesse ficado, os Senators não poderiam ter adquirido Bobby Ryan.

Foi graças a esta e muitas outras inconsistências no discurso de Melnyk ao longo dos anos que Yost conseguiu comprovar um rumor que circulava já há algum tempo: os Senators operam com um tecto salarial interno. Segundo Yost e confirmado pelo Ottawa Citizen, apesar de o tecto salarial se situar nos $64 milhões de dólares, os Senators não podem gastar mais do que $50 milhões por ordem do seu dono. Assim se explica a impossibilidade de ter Alfredsson e Ryan na equipa.

A partir deste facto, Yost começou a investigar as finanças de Melnyk e descobriu que o magnata da industria farmacêutica tem perdido bastante dinheiro nos últimos anos. Depois de vender a gigante Biovail que ele próprio fundou em 1989, reinvestiu o dinheiro em duas startups farmacêuticas, a Trimel e a PurGenesis. No entanto, o investimento não correu como o esperado.

Sendo duas empresas que actuam no mercado da biotecnologia, a Trimel e a PurGenesis precisam de um forte investimento nesta fase inicial e será pouco provável que comecem a dar lucro num futuro próximo, não sendo seguro que alguma vez venham a dar. A Trimel perdeu valor na bolsa de forma consecutiva durante os anos de 2012 e 2013, o que levou Melnyk a vender a sua participação na empresa, passando de 58.9% para 29.5%. Por outro lado, a antiga Biovail, agora com o nome Valeant, recuperou grande parte da sua importância, valendo agora mais de $100 dólares por acção, depois de Melnyk ter vendido as suas por $20 dólares cada em 2007.

Se a tudo isto juntarmos um divórcio litigioso que pode render à ex-mulher de Melnyk mais de $100 milhões de dólares, percebemos a profundidade dos problemas financeiros do dono dos Senators. Travis Yost vai mais longe e afirma que todos os negócios de Melnyk são geridos como um todo, incluindo os Ottawa Senators. Para fazer essa afirmação, Yost recorre ao currículo de Brian Crombie, conselheiro financeiro e braço direito de Melnyk.

No seu currículo, Crombie faz referência ao seu papel em todos os investimentos de Melnyk (Biovail, PurGenesis, Trimel), menos na aquisição dos Senators. Curiosamente, é no capítulo dedicado à Trimel que Crombie refere a sua participação na aquisição e várias recapitalizações da equipa de Ottawa. Uma fonte de Yost afirma também que a equipa terá sido comprada com recurso a um empréstimo que ainda estará a ser pago, e é por esse motivo que os Senators não dão lucro.

Tudo isto foi recolhido e investigado por Yost, permitindo-lhe concluir que Melnyk colocou um tecto salarial interno nos Senators para compensar algum do dinheiro que perdeu noutros negócios, algo que não agrada nada à liga que procura sempre que as equipas dêem o maior lucro possível.

Melnyk foi rápido a desmentir quaisquer dificuldades financeiras. Bill Daly afirmou que a liga não tem dado nenhuma atenção especial à situação dos Senators. No entanto, os desenvolvimentos do dia 24 de Agosto tornaram este caso ainda mais complicado. O site Hockeybuzz sofreu um ataque informático e todos os artigos de Travis Yost foram apagados, tal como a sua conta no Twitter.

Numa tentativa de perceber o que se tinha passado, Yost descobriu um endereço IP associado ao ataque. Esse endereço está ligado a uma instituição de solidariedade na Ucrânia, chamada “Help Us Help The Children”. Uma pesquisa rápida no Google e um nome familiar apareceu como presidente desta instituição: Eugene Melnyk. E adivinhem quem estava na Ucrânia nos dias em que tudo se passou…

Talvez o encerramento da conta no Twitter seja já uma precaução para um futuro processo judicial. Se isso acontecer, este promete ser um dos casos quentes da próxima época. Por muito que Bill Daly tente dispersar atenções, não acredito que Gary Bettman não esteja preocupado. Ele não quer que se repita em Ottawa o que aconteceu em New Jersey, onde chegou a haver incumprimento por parte dos Devils. Ainda mais numa altura em que (alegadamente) a liga pensa em expansão.

Para quem quiser saber mais sobre a investigação de Travis Yost, aqui ficam todos os seus artigos dedicados à situação financeira de Eugene Melnyk, por ordem cronológica: 

Canadiens perdem Jogo 4 e Carey Price

Como se não fosse difícil engolir uma derrota no prolongamento, num jogo que estiveram a liderar por 2-0 e que os coloca a perder 3-1 na eliminatória, os Canadiens ficaram também sem dois jogadores importantes.

Carey Price lesionou-se no fim do 3º período e foi substituído por Peter Budaj no prolongamento, e Brandon Prust queixou-se do ombro. Michel Therrien afirmou que não sabe se os dois jogadores vão estar disponíveis para o Jogo 5.

Com os Habs a correrem sérios riscos de serem eliminados, a ausência de Price, Prust e do capitão Brian Gionta torna a tarefa muito complicada.

Antevisão – Canadiens vs. Senators

Com a chegada dos Playoffs, eu tentei fazer antevisões das eliminatórias da 1ª ronda. Mais precisamente, antevisões que eu gostava de ler. Pequenas, simples, algumas estatísticas, um pouco de opinião própria e um olhar sobre a história entre as duas equipas. Espero que gostem.

 

Montreal Canadiens vs. Ottawa Senators

Frente-a-frente: As equipas dividiram os encontros na época regular, duas vitórias para cada lado.

História: Esta será a primeira eliminatória que coloca frente a frente estas duas equipas canadianas.

Números

Diferença de golos: Canadiens: +23,  Senators: +12
Remates por jogo: Canadiens: 30.6 (9º), Senators: 33.1 (1º)
Remates sofridos por jogo: Canadiens: 26.9 (5º), Senators: 31.3 (23º)

Guarda-redes

Canadiens: Carey Price, 90.5% percentagem de defesas, 2.59 média de golos sofridos
Senators: Craig Anderson, 94.1% percentagem de defesas, 1.69 média de golos sofridos

Melhores Marcadores

Canadiens: Max Pacioretty, 15 golos e 24 assistências em 44 jogos
Senators: Kyle Turris, 12 golos e 17 assistências em 48 jogos

Razão para ver: Os Senators podem ser a grande surpresa deste Playoffs. Com Craig Anderson recuperado e de volta à baliza dos Senators, esta equipa pode ser uma ameça real.

Lesões: Spezza e Alexei Emelin estão de fora para o resto da temporada.

Opinião: Os Canadiens claudicaram no fim da época regular, e muito dessa queda foi responsabilidade de Carey Price. Se ele conseguir recuperar a melhor forma, vejo esta eliminatória chegar ao Jogo 7

Previsão: Senators em 7.

O que aconteceu ontem

Não havia mais nenhum lá em casa?

Com 11 jogos a decorrerem ao mesmo tempo, todos com alguma razão de interesse, fosse por envolver uma equipa à beira de garantir um lugar nos Playoffs ou uma à beira de ser eliminada, foi difícil acompanhar tudo o que aconteceu.

Não receiem. Eu vou fazer-vos um resumo.

Conferência Este

Os New York Rangers qualificaram-se para os Playoffs, mas não foi fácil. Os Carolina Hurricanes apareceram determinados a estragar a época dos Rangers, mas Ryan Callahan (o modelo do que deve ser um capitão) marcou o golo da vitória no prolongamento, depois de um empate a 3 golos no tempo regulamentar.

Outro motivo de interesse deste jogo foi a reunião de três dos quatros irmãos Staal. Jordan, Eric e Jared pertencem todos aos Carolina Hurricanes e tiveram ontem a oportunidade de jogar pela primeira vez juntos, devido à chamada do irmão mais novo, Jared, à equipa principal. Podiam ter pedido o Marc emprestado aos Rangers, só para fazer uma perninha com os irmãos.

Num jogo que já não contava para muito, Kirk Muller colocou os 3 irmãos todos na mesma linha para começar o jogo, numa acção cheia de classe de um treinador que merecia melhor sorte.

Os Ottawa Senators também tiveram que suar as estopinhas para vencer os Washington Capitals por 2-1 também no prolongamento. Para além da qualificação dos Sens para os Playoffs, o momento da noite foi o regresso de Erik Karlsson à competição dois meses após uma lesão, que demora normalmente cinco meses a recuperar.

A vitória dos Senators eliminou automaticamente os Winnipeg Jets, que acabaram por perder por 4-2 com os Montreal Canadiens. Os Habs não conseguiram ganhar terreno na luta pela Divisão Nordeste apesar dos dois pontos, porque os Bruins fizeram o seu papel e ganharam aos Lightning por 2-0.

Os 8 primeiros classificados da Conferência Este estão decididos, mas ainda pode haver trocas de posição. Se os Playoffs começassem hoje tínhamos: Penguins-Islanders ; Bruins-Rangers ; Capitals-Senators e Canadiens-Leafs.

Conferência Oeste

Ninguém carimbou o passaporte para os Playoffs ontem. No entanto, os Dallas Stars acabaram por ser eliminados.

Os Wild ficaram no sofá a assistir às vitórias dos Red Wings  (5-2 sobre os Predators) e dos Blue Jackets (por 3-1 sobre os Stars).

Assim, os Red Wings apenas precisam de um ponto no jogo contra os Stars no sábado para se apurarem, mesmo que os Blue Jackets ganhem aos Nashville Predators no mesmo dia. Os Wild apenas precisam de vencer um dos dois jogos que lhes restam. O primeiro é já hoje frente aos Edmonton Oilers.

Liga dos últimos

Finalmente, os Florida Panthers confirmaram que são a pior equipa da NHL. Não é um título muito apetecível, mas tem um lado bom, como tudo na vida.  Dá-lhes 25% de hipóteses de ficarem com a primeira escolha no Draft de 2013.

Não é garantido, mas têm a lei das probabilidades do seu lado. O seu único problema é que os Oilers também vão participar no sorteio, e eles têm jeito para ganhar estas coisas.

Karlsson a 100%?!

Erik Karlsson, o defesa dos Ottawa Senators continua a sua incrível recuperação de uma ruptura do tendão de Aquiles. Na sexta-feira, os médicos deram a permissão para Karlsson treinar sem condicionamentos pela primeira vez desde a lesão, e o seu regresso à competição parece estar cada vez mais perto.

O GM dos Senators, Bryan Murray, disse que Karlsson está a 100% e o seu regresso está apenas dependente da sua forma física.

O defesa de 22 anos tem estado de fora desde 14 de Fevereiro, quando o patim de Matt Cooke cortou o seu tendão de Aquiles. A ruptura foi de 70% do tendão, que requereu cirurgia imediata, terminando a época de Karlsson. Ou então se pensava na altura.

Para dar uma ideia da fase de recuperação de Karlsson, os jornalista que assistiram ao seu primeiro treino disseram que ele estava a patinar com tanta facilidade que já não sabiam se a lesão tinha sido na perna esquerda ou na direita.

Os Senators vão defrontar os Toronto Maple Leafs no sábado, sendo muito improvável que Karlsson jogue, uma vez que está afastado da competição há mais de dois meses. Segund-feira pode ser outra conversa. Os Senators recebem os Penguins nessa noite, a equipa de Matt Cooke, naquele que seria um regresso simbólico do actual detentor do Troféu Norris.

 

Craig Anderson dá aos Senators espaço para respirar

Foi na melhor altura que Craig Anderson decidiu registar a sua primeira vitória em quase dois meses.

O guarda-redes dos Senators, que falhou 19 jogos em resultado de um lesão no tornozelo, fez 33 defesas sem sofrer qualquer golo no jogo de sexta-feira. Os Senators derrotaram os New Jersey Devils por 2-0 e têm agora 2 pontos de vantagem sobre os New York Islanders, consolidando o seu 6º Lugar na Conferência Este. Os Toronto Maple Leafs estam em 5º, a apenas 1 ponto de distância.

Anderson foi espectacular entre os postes mas também deu que falar fora deles. Durante uma sequência caótica no segundo período, Anderson acertou com a cabeça do seu stick na cara do luso-descendente Adam Henrique.

Segundo as regras esta acção é merecedora de 5 minutos de penalidade. Como os árbitros não se aperceberam da infracção, Brendan Shanahan e o Departamento de Segurança devem ter qualquer coisa a dizer. Anderson merece uma suspensão?