Antevisão: Panthers – Bruins

Tim Thomas regressa a Boston para tentar derrotar o clube que recuperou a sua carreira, depois de ele ter andado perdido em algumas ligas europeias. Mas a conversa em Boston é outra. Brad Marchand parece revitalizado e faz parte da linha mais temível da NHL nas últimas semanas.

Com 5 golos nos primeiros 34 jogos, o nome de Marchand começou a aparecer nos rumores de transferências. A atitude do jogador também foi motivo de conversa, causando algum desconforto no balneário dos Bruins. Peter Chiarelli foi rápido a desmentir todos os rumores e deu um voto de confiança ao jogador.

Nos últimos 6 jogos, Marchand marcou 12 pontos e parece ter encontrado os parceiros perfeitos: Patrice Bergeron e Reilly Smith. Marchand e Bergeron jogam juntos há vários anos, na 2ª linha dos Bruins. São dois jogadores muito bons na zona defensiva e que têm a velocidade necessária para lançar contra-ataques perigosos. Reilly Smith é a chave desta nova combinação.

Visto apenas como um peça adicional na troca de Tyler Seguin para os Dallas Stars, Reilly Smith tem sido a revelação da época dos Bruins, com 39 pontos em 51 jogos. Devido a consecutivas lesões, Louie Eriksson ainda não foi capaz de mostrar tudo aquilo que pode fazer, e até que isso aconteça, Reilly Smith será a melhor contra-partida que os Bruins obtiveram na troca de Seguin.

Apesar de se encontrarem em penúltimo lugar da Divisão Atlântico, os Panthers estão apenas 8 pontos de um lugar de apuramento para os Playoffs. Parece muito, mas com 30 jogos pela frente ainda há tempo para recuperar. A vitória por 5-4 frente aos Detroit Red Wings pode ser moralizadora, uma vez que os Panthers tiveram que recuperar de uma desvantagem de dois golos.

Alinhamento dos Panthers

Shawn Matthias  – Nick Bjugstad – Scottie Upshall
Sean Bergenheim – Scott Gomez – Brad Boyes
Jonathan Huberdeau – Marcel Goc – Jesse Winchester
Tomas Fleischmann – Drew Shore –  Krys Barch

Brian Campbell – Tom Gilbert
Dylan Olsen – Ed Jovanovski
Dmitry Kulikov – Mike Weaver

Tim Thomas

Aleksander Barkov ficou de fora nos últimos dois jogos e está em dúvida para hoje à noite.

Alinhamento dos Bruins

Milan Lucic – David Krejci – Jarome Iginla

Brad Marchand – Patrice Bergeron – Reilly Smith
Carl Soderberg – Chris Kelly – Loui Eriksson
Daniel Paille – Gregory Campbell – Shawn Thornton

Zdeno Chara – Dougie Hamilton
Matt Bartkowski – Johnny Boychuk
Torey Krug – Kevan Miller

Tuukka Rask

Chris Kelly pode regressar hoje à competição. Kelly falhou os últimos 21 jogos devido a uma fractura na fíbula.

Crónica: Panthers 1 – 2 Canadiens

Depois de duas derrotas frente aos Panthers, os Montreal Canadiens vinham preparados para um jogo difícil. A titularidade de Carey Price e Tim Thomas nas respectivas balizas indicava um jogo com poucos golos e foi isso que aconteceu.

Os Panthers entraram bem na partida, mas foram os Canadiens que abriram o marcador. David Desharnais teve a ligeireza de pensamento para recuperar rapidamente de um remate falhado e bateu o surpreendido (e desposicionado) Tim Thomas.

A partir daí, os Canadiens tomaram conta do jogo. A linha de Barkov, Boyes e Bergenheim era a única que conseguia gerar alguma coisa no ataque dos Panthers. Apesar do domínio, os Canadiens nunca conseguiram ter mais do que um golo de vantagem. Na verdade, o resultado poderia ter sido 4-1, pois a equipa de Montreal viu-lhe ser anulados dois golos duvidosos, o que vem sendo habitual nos seus jogos.

No primeiro lance, o árbitro parou o jogo sem razão aparente, antes que Rene Bourque introduzisse o disco na baliza. No segundo, foi marcada uma falta de interferência ao guarda-redes por parte de Travis Moen, quando na verdade ele foi empurrado por Barkov para cima de Tim Thomas.

Nos últimos 20 minutos de jogo, os Canadiens recuaram demasiado, dando o controlo do jogo aos Panthers que fizeram 16 remates só no 3º período. No entanto, Carey Price cumpriu a sua parte e manteve o resultado em 2-1 até ao final.

Era importante para os Canadiens fazerem uma série de jogos bem conseguidos, para recuperarem algum do terreno perdido para os Bruins. Os primeiros 40 minutos de jogo foram uma prova do que esta equipa pode fazer e, apesar de não terem marcado tantos golos como seria desejável, esse é o caminho a seguir. O máximo que eles podem fazer é jogar bem. O disco entrar ou não entrar, é desporto.

Antevisão: Canadiens – Panthers

Será a 2ª vez em pouco menos de duas semanas que vamos puder assistir na SportTv a um duelo entre estas duas equipas. No jogo anterior, os Panthers venceram e convenceram. O resultado final foi de 4-1 e domínio da equipa da Florida foi total, em todos os momentos do jogo.

Na época passada, os Canadiens não tiveram dificuldades em ganhar aos Panthers. Este ano a história é outra. Em dois jogos, duas vitórias dos Panthers, e com exibições fracas da equipa de Montreal. Hoje, a partir da meia-noite e meia, os Canadiens enfrentam os Panthers pela 3ª vez e vão tentar conquistar a 1ª vitória.

No entanto, a batalha pode ser mais difícil do que parece. Apesar da classificação ditar que os Panthers ainda estão a 9 pontos dos Playoffs, as suas exibições têm melhorado de jogo para jogo. Os Panthers fizeram mais remates que os adversário de uma forma consistente no mês de Dezembro, ao nível de uma equipa como os Los Angeles Kings.

A posse do disco nunca foi o verdadeiro problema dos Panthers. O seu principal ponto fraco era a baliza. Para reforçar essa área, os Panthers convenceram Tim Thomas a sair da sua reforma anticipada, mas durante a primeira parte da época ele não foi o jogador que nos habituou nos Bruins. No último mês, Thomas conseguiu dar a volta ao texto e tem feito exibições de qualidade.

Outra área que os Canadiens podem tentar explorar é o powerplay. Os Panthers são últimos na NHL em situações de vantagem numérica e apenas marcaram um golo nas últimas 16 oportunidades. Por outro lado, os Canadiens têm um dos melhores powerplays da liga, sendo responsável por mais de um quarto dos golos da equipa.

Se existe algum jogador que por si só pode mudar o rumo deste jogo é Carey Price. Ele ainda não defrontou os Panthers este ano, mas tem tido sucesso contra esta equipa na sua carreira (12 vitórias em em 21 jogos, 93.3% de defesas e 2 shutouts). Price tem sido um dos melhores guarda-redes da liga este ano e pode reclamar para si um boa porção das vitórias dos Canadiens. Se estiver hoje no seu melhor, pode conquistar mais uma.

Alinhamento dos Canadiens

Rene Bourque – Tomas Plekanec – Brian Gionta
Max Pacioretty – David Desharnais – Brenden Gallagher
Alex Galchenyuk – Lars Eller – Brandon Prust
Travis Moen – Danny Briere – Michael Bournival

Francis Bouillon – P. K. Subban
Andrei Markov – Alexei Emelin
Douglas Murray – Josh Gorges

Carey Price

Alinhamento dos Panthers

Tomas Fleischmann – Nick Bjugstad – Scottie Upshall
Sean Bergenheim – Aleksander Barkov – Brad Boyes
Jonathan Huberdeau – Marcel Goc – Tomas Kopecky
Jimmy Hayes – Shawn Matthias – Krys Barch 

Brian Campbell – Tom Gilbert
Erik Gudbranson – Ed Jovanovski
Dmitry Kulikov – Mike Weaver

Tim Thomas

Crónica: Canadiens 1 – 4 Panthers

O tão aguardado regresso de Tim Thomas à competição não aconteceu, levando Scott Clemmensen a realizar o 2º jogo em dois dias. O veterano de 36 anos fez 21 defesas, acompanhando um forte jogo colectivo da sua equipa. Os Canadiens não jogaram ao seu melhor nível, mas também se podem queixar de dois golos mal anulados.

No entanto, certamente que não se vão esconder atrás das decisões dos árbitros. A equipa cometeu muitos erros, principalmente defensivos, que têm que ser abordados pela equipa técnica. O jogo foi particularmente difícil para o par defensivo de Andrei Markov e Alexei Emelin, que estiveram no gelo em todos os golos dos Panthers, obrigando Michel Therien a separar o dois e a reeditar a dupla Markov-Subban. Mas já foi tarde demais.

No 1-0, Markov falho a intersecção na zona neutral, deixando Emelin sozinho com dois jogadores dos Panthers. No golo de Barkov houve mais um erro de cobertura defensiva com Markov e Emelin no gelo. Como se pode ver na imagem, Barkov está completamente isolado na slot. A responsabilidade de marcar o Finlandês seria de Ryan White, que foi atraído pelo portador do disco e facilmente batido com um passe atrasado.

panthers goal

Do lado dos Panthers, o par defensivo de Brian Campbell e Tom Gilbert dominou o jogo, com 2 pontos cada um. Sempre que vejo o Campbell a jogar ele mostra que ainda tem o que é preciso para jogar ao mais alto nível.. O seu salário não é comportável para todas as equipas, mas pode ser um jogador interessante para alguém que queira reforçar a defesa no trade deadline.

Tom Gilbert, por sua vez, é a pechincha do ano. Depois de ter sido dispensado pelos Oilers, Gilbert chegou aos Panthers à experiência durante o training camp. Acabou por assinar um contrato de 1 ano por $900 mil dólares. Para um jogador que já marcou 15 pontos e joga mais de 20 minutos por jogo, é um excelente negócio. Os Canadiens estão a pagar $1.5 milhões de dólares a Douglas Murray para ele se sentar na bancada, por isso…

Homem do jogo

Aleksander Barkov não deu qualquer hipótese aos Canadiens. Peter Horacek conseguiu afastá-lo de P. K. Subban e o Finlandês aproveitou bem o mau desempenho de Markov e Emelin. Mesmo tendo enfrentado Plekanec durante a maior parte do tempo, Barkov empurrou o jogo para a zona defensiva dos Canadiens. Com Barkov em campo, os Panthers fizeram 21 tentativas de remate contra apenas 4 dos Canadiens.

Antevisão: Canadiens – Panthers

Hoje à noite, a partir das 22:00 horas, vamos assistir na SportTv ao possível regresso de Tim Thomas à competição (ainda não foi confirmado). Apesar de Thomas já estar disponível desde terça-feira, Scott Clemmensen foi o titular no jogo de ontem frente aos Red Wings, o que indica que hoje deverá ser a vez de Tim Thomas.

Ambas as equipas jogaram ontem com resultados diferentes. Os Panthers somaram a 3ª derrota consecutiva, depois de terem perdido por 4-3 com os Detroit Red Wings. Já os Canadiens conseguiram uma vitória crucial por 2-1 contra os Tampa Bay Lightning, com uma grande exibição de Carey Price.

Depois da troca de treinador, os Panthers têm estado a jogar melhor em 5-contra-5, mas Peter Horachek ainda não conseguiu resolver os problemas das equipas especiais. O powerplay é anémico e o penalty kill têm dificuldade em restringir os remates do adversário. Na derrota com os Red Wings, foram as penalidades em alturas pouco aconselhadas do jogo que custaram a vitória. A disciplina vai ser fundamental para o sucesso dos Panthers neste jogo.

Do lado dos Canadiens, dois jogadores têm estado em grande destaque: Carey Price e Max Pacioretty. Para sorte dos Panthers, Peter Budaj vai ser o titular na baliza na vez de Price. Pacioretty marcou 5 golos nos últimos 10 jogos e perfila-se como um dos candidatos a representar os USA em Sochi. A grande maioria dos avançados dos Canadiens, incluindo Pacioretty, são muito rápidos e conseguem chegar à zona ofensiva em muito pouco tempo. Os defesas dos Panthers vão ter que fechar bem o espaço entre eles e os avançados, de maneira a conter a velocidade dos Canadiens.

powerplay da equipa de Montreal já viu melhores dias. Conseguiu apenas 3 golos em 32 oportunidades, nos últimos 10 jogos. Os Panthers podem ser o adversário ideal para que os Canadiens voltem a encontrar o seu ritmo no powerplay.

Alinhamento dos Canadiens

Rene Bourque – Tomas Plekanec – Brian Gionta
Max Pacioretty – David Desharnais – Brenden Gallagher
Alex Galchenyuk – Lars Eller – Danny Briere
Brandon Prust – Ryan White – Travis Moen

Josh Gorges – P. K. Subban
Andrei Markov – Alexei Emelin
Francis Bouillon – Raphael Diaz

Peter Budaj

A linha de Plekanec é normalmente a que tem maiores responsabilidades defensivas, deixando matchups mais fáceis para jogadores como Pacioretty, Gallagher e Galchenyuk aproveitarem. A dupla Subban-Markov estava a ser uma das mais eficazes da NHL, mas foi separada por Michel Therien no último jogo. Não sei qual é a ideia do treinador dos Canadiens, mas não interessa muito. Qualquer um joga bem ao lado do Subban. O 3º par defensivo tem sido um dos problemas dos Canadiens, mas melhorou com a saída de Douglas Murray e entrada de Raphael Diaz.

Alinhamento dos Panthers

Tomas Fleischmann – Nick Bjugstad – Jonathan Huberdeau
Sean Bergenheim – Aleksander Barkov – Brad Boyes
Shawn Matthias – Marcel Goc – Tomas Kopecky
Scott Gomez – Drew Shore – Jimmy Hayes

Brian Campbell – Tom Gilbert
Alex Petrovic – Dylan Olsen
Dmitry Kulikov – Mike Weaver

Tim Thomas

A principal mudança operada por Peter Horachek quando tomou conta dos Panthers foi a confiança que depositou em Nick Bjugstad. O jovem centro de 21 anos não desiludiu e tem sido uma agradável surpresa na linha mais ofensiva dos Panthers, ao lado de Huberdeau e Fleischmann. Brian Campbell e Tom Gilbert formam uma excelente dupla, mas o resto da defesa dos Panthers deixa muito a desejar, o que pode ser um problema contra o ataque dos Canadiens.

Gallagher, Huberdeau e Saad nomeados para o Calder

Brendan Gallagher dos Montreal Canadiens, Jonathan Huberdeau dos Florida Panthers e Brandon Saad dos Chicago Blackhawks são os três finalista do troféu Calder, atribuído ao melhor rookie do ano.

Gallagher marcou 15 golos e 28 pontos em 44 jogos. Mas o que impressionou mais no jovem de 21 anos foi a vontade e coragem de disputar o jogo contra qualquer adversário, mesmo quando o seu 1 metro e 75 de altura o punha em clara desvantagem.

Heberdeau liderou a tabela de melhores marcadores entre rookies com 31 pontos em 48 jogos. Ele foi também o que teve mais tempo de jogo entre os três nomeados, com uma média de 16:55 minutos por jogo.

Saad marcou 10 golos e 17 assistências, mas será mais reconhecido por ser a terceira parte de uma das melhores linhas na NHL. Ao lado de Jonathan Toews e Marian Hossa, o nativo de Pittsburgh não podia ter pedido melhor companhia para a sua estreia na melhor liga de hóquei do mundo.

De fora dos nomeados ficaram jovens promessas, como Nail Yakupov, Cory Conacher, Justin Schultz e Jonas Brodin. Já tinha deixado aqui a minha opinião na semana passada e fico contente por ter acertado nos nomeados, mas para vocês quem merece mais os troféu Calder?