Crónica: Hurricanes 4 – 3 Capitals (OT)

Jeff Skinner marcou um hat-trick na vitória por 4-3 dos Hurricanes frente aos Washington Capitals. O 3º golo do jovem de 21 anos decidiu o jogo no prolongamento e consumou a 3ª vitória dos Hurricanes no Verizon Center esta época.

Adam Oates tentou baralhar as linhas para ver se conseguia reanimar o ataque, e conseguiu até um certo ponto. Os Caps caíram em cima dos Hurricanes desde o primeiro minuto, à procura de abalar a confiança de Anton Khudobin, que já não jogava desde Outubro. O guarda-redes russo não pareceu muito confortável, permitindo alguns ressaltos que os Capitals não aproveitaram.

Os Hurricanes contentaram-se em dar o controlo do jogo aos Capitals, mas sempre defendendo bem as partes mais perigosas da sua zona e nunca deixando os adversários rematarem à vontade. Duas situações de powerplay consecutivas equilibraram o jogo e permitiram que os Hurricanes marcassem o 1º golo do jogo, por Jeff Skinner.

No 2º período, as equipas abriram-se mais e as oportunidades começaram a surgir. 5 golos em menos de 5 minutos colocaram o marcador em 3-3. Mais uma vez, os Capitals tinham o domínio do jogo, mas cometiam erros defensivos que permitiam aos Hurricanes responder quase instantaneamente. Este tem sido um problema recorrente em Washington. Os Capitals já sofreram 22 golos nos 2 minutos seguintes a terem marcado.

Depois da confusão, as equipas assentaram e defenderam bem durante o resto do jogo, levando ao inevitável prolongamento. Aqui e como em todo o resto da partida, os Capitals criaram as melhores oportunidades de golo, mas foram os Hurricanes que capitalizaram com mais um erro do adversário. O defesa Dmitry Orlov tentou chegar a um passe arriscado de Alex Ovechkin, não conseguiu controlar o disco e foi apanhado em contra-pé. O resultado foi um contra-ataque de 3-contra-1 para os Hurricanes. Mike Green não teve hipótese, apesar não ter tido a melhor abordagem técnica ao lance, e Jeff Skinner acabou com o jogo.

Homem do jogo

Jeff Skinner eventualmente voltará ao seu ritmo normal, mas para já ele está a alimentar todo o ataque dos Hurricanes. Alguma percentagem da sua recente eficácia à frente da baliza deve-se sem dúvida à sorte, mas neste jogo não. Todos os seus 3 golos foram resultado da inteligência que Skinner tem para perceber onde é que o disco vai estar, antes de todos os outros. Ele leu bem tanto os passes dos seus colegas como os ressaltos de Grubauer e soube colocar-se na melhor posição para marcar. A dura realidade para os Hurricanes é que um linha não chega para ganhar muitos jogos.

Antevisão: Hurricanes – Capitals

O jogo de hoje na SportTv, a partir da meia noite, vai pôr frente a frente dois rivais da Divisão Metropolitana. Washington Capitals e Carolina Hurricanes vão-se defrontar pela quarta vez esta época. Para já, a equipa visitante tem levado a melhor, com os Hurricanes a conseguirem conquistar duas vitórias em tantos jogos no Verizon Center.

Os Capitals regressam a casa depois de duas derrotas fora, contra equipas da Divisão Atlântica. No último domingo, perderam por 2-1 no shootout em Buffalo, com uma exibição memorável de Ryan Miller. Na segunda-feira, viajaram até à capital do Canadá para serem derrotados por 3-1 pelos Senators. Os Caps apenas venceram 2 dos seus últimos 7 jogos e estão agora com apenas 1 ponto de vantagem sobre os Philadelphia Flyers, na luta pelo 2º lugar da Divisão Metropolitana.

Os Capitals marcaram apenas 2 golos nos últimos 2 jogos, apesar de terem feito 85 remates à baliza. A verdade é que só tiveram 4 powerplays, a principal arma ofensiva da equipa. Para tentar revitalizar o ataque em 5-contra-5, Adam Oates vai mexer no seu top-6. Alex Ovechkin deverá jogar ao lado de Mikhail Grabovski, com Troy Brouwer a passar para o lado direito de Nicklas Backstrom.

Outro problema que Oates enfrenta são os jogadores insatisfeitos. Neuvirth, Martin Erat e Dmitry Orlov vieram a público criticar a sua utilização e pedir uma transferência. A situação de Erat e Orlov tem melhorado nos últimos jogos, com os jogadores a serem mais utilizados por Oates. Já Neuvirth viu o seu papel ainda mais reduzido com o aparecimento de Philipp Grubauer. Adam Oates tem que lidar com estes jogadores com muito cuidado, de maneira a não permitir que o desconforto se alastre ao resto do plantel.

Os Carolina Hurricanes chegam a este jogo em 6º lugar na divisão, a 6 pontos dos Capitals. A vitória por 5-4 sobre os Montreal Canadiens na véspera de Ano Novo pode moralizar a equipa de Kirk Muller. Essa vitória quebrou uma série de 5 derrotas consecutivas para os Hurricanes, que apenas têm dois triunfos nos últimos 10 jogos.

Os Hurricanes vão ter uma nova cara no plantel. John-Michael Liles foi adquirido aos Toronto Maple Leafs, em troca por Tim Gleason, e vai estar à espera de fazer a sua estreia. Cam Ward está lesionado e não viajou com a equipa, o que provavelmente significará que Anton Khudobin vai ser o titular.

Alinhamento dos Hurricanes

Jeff Skinner – Eric Staal – Alexander Semin
Nathan Gerbe – Jordan Staal – Patrick Dwyer
Zach Boychuk  – Manny Malhotra – Tuomo Ruutu
Drayson Bowman – Brett Sutter – Radek Dvorak

Andrej Sekera – Justin Faulk
Ron Hainsey – Brett Bellemore
John-Michael Liles – Ryan Murphy

Anton Khudobin

A lesão de Riley Nash abre um lugar no alinhamento dos Hurricanes, que pode ser ocupado por Brett Sutter ou obrigar à utilização de 7 defesas. A defesa dos Hurricanes foi bastante reforçada com as aquisições de Andrej Sekera e Ron Hainsey, mas a equipa não consegue marcar golos, o que não é de estranhar para quem tem Nathan Gerbe e Patrick Dwyer no seu top-6. Jeff Skinner marcou 12 golos no mês de Dezembro e está em grande forma, mas a profundidade do ataque deixa muito a desejar.

Alinhamento dos Capitals

Marcus Johansson – Nicklas Backstrom – Troy Brouwer
Eric Fehr – Mikhail Grabovski -
 Alex Ovechkin
Jason Chimera – Martin Erat – Joel Ward
Brooks Laich – Jay Beagle – Tom Wilson

Karl Alzner – John Carlson
Dmitry Orlov – Mike Green
John Erskine – Steve Oleksy

Philipp Grubauer

Grubauer vai ser titular pela 9ª vez em 12 jogos. Braden Holtby não joga desde de 21 de Dezembro e começa a perder o seu estatuto dentro da equipa. Já vimos esta mesma história inúmeras vezes em Washington. Varlamov, Neuvirth, Holtby, todos eram tidos como o guarda-redes do futuro dos Capitals, mas aparece sempre alguém que põe isso em dúvida. Isto mostra principalmente a impaciência que a organização tem com os guarda-redes jovens. Holtby é um excelente guarda-redes e os Capitals não deviam culpabilizá-lo pelas derrotas da equipa.

O que aconteceu ontem

Não havia mais nenhum lá em casa?

Com 11 jogos a decorrerem ao mesmo tempo, todos com alguma razão de interesse, fosse por envolver uma equipa à beira de garantir um lugar nos Playoffs ou uma à beira de ser eliminada, foi difícil acompanhar tudo o que aconteceu.

Não receiem. Eu vou fazer-vos um resumo.

Conferência Este

Os New York Rangers qualificaram-se para os Playoffs, mas não foi fácil. Os Carolina Hurricanes apareceram determinados a estragar a época dos Rangers, mas Ryan Callahan (o modelo do que deve ser um capitão) marcou o golo da vitória no prolongamento, depois de um empate a 3 golos no tempo regulamentar.

Outro motivo de interesse deste jogo foi a reunião de três dos quatros irmãos Staal. Jordan, Eric e Jared pertencem todos aos Carolina Hurricanes e tiveram ontem a oportunidade de jogar pela primeira vez juntos, devido à chamada do irmão mais novo, Jared, à equipa principal. Podiam ter pedido o Marc emprestado aos Rangers, só para fazer uma perninha com os irmãos.

Num jogo que já não contava para muito, Kirk Muller colocou os 3 irmãos todos na mesma linha para começar o jogo, numa acção cheia de classe de um treinador que merecia melhor sorte.

Os Ottawa Senators também tiveram que suar as estopinhas para vencer os Washington Capitals por 2-1 também no prolongamento. Para além da qualificação dos Sens para os Playoffs, o momento da noite foi o regresso de Erik Karlsson à competição dois meses após uma lesão, que demora normalmente cinco meses a recuperar.

A vitória dos Senators eliminou automaticamente os Winnipeg Jets, que acabaram por perder por 4-2 com os Montreal Canadiens. Os Habs não conseguiram ganhar terreno na luta pela Divisão Nordeste apesar dos dois pontos, porque os Bruins fizeram o seu papel e ganharam aos Lightning por 2-0.

Os 8 primeiros classificados da Conferência Este estão decididos, mas ainda pode haver trocas de posição. Se os Playoffs começassem hoje tínhamos: Penguins-Islanders ; Bruins-Rangers ; Capitals-Senators e Canadiens-Leafs.

Conferência Oeste

Ninguém carimbou o passaporte para os Playoffs ontem. No entanto, os Dallas Stars acabaram por ser eliminados.

Os Wild ficaram no sofá a assistir às vitórias dos Red Wings  (5-2 sobre os Predators) e dos Blue Jackets (por 3-1 sobre os Stars).

Assim, os Red Wings apenas precisam de um ponto no jogo contra os Stars no sábado para se apurarem, mesmo que os Blue Jackets ganhem aos Nashville Predators no mesmo dia. Os Wild apenas precisam de vencer um dos dois jogos que lhes restam. O primeiro é já hoje frente aos Edmonton Oilers.

Liga dos últimos

Finalmente, os Florida Panthers confirmaram que são a pior equipa da NHL. Não é um título muito apetecível, mas tem um lado bom, como tudo na vida.  Dá-lhes 25% de hipóteses de ficarem com a primeira escolha no Draft de 2013.

Não é garantido, mas têm a lei das probabilidades do seu lado. O seu único problema é que os Oilers também vão participar no sorteio, e eles têm jeito para ganhar estas coisas.

Dificuldades defensivas continuam a atormentar Hurricanes

Dan Ellis foi substituído pela segundo vez em 3 jogos, depois de ter sofrido 3 golos em 30 remates na derrota por 4-1 frente aos New York Rangers, no sábado.

Para o seu lugar entrou Justin Peters que é, tecnicamente, o terceiro guarda-redes da equipa. O guarda-redes principal, Cam Ward, está de fora por lesão até ao fim da época.

Tem sido uma semana terrível para Ellis. Na terça-feira, sofreu 3 golos em 7 remates e acabou por ser substituído na derrota por 5-3 com os Capitals.

Na quinta-feira frente aos Tampa Bay Lightning, Ellis durou o jogo todo mas deixou entrar cinco golos em 30 remates. Hoje voltou a ser substituído e, apesar de ter ficado mal na fotografia do 2º golo dos Rangers, não lhe pode ser atribuída toda a culpa.

Os Hurricanes foram muito permeáveis na defesa e a substituição de Ellis deverá ter sido a forma que Kirk Muller arranjou para acordar a sua equipa. Com quatro derrotas consecutivas, os Canes enfiaram-se num buraco, do qual vão ter grandes dificuldades para sair.

Na outra baliza, Lundqvist teve uma exibição excepcional, parando 48 dos 49 remates feitos pelos Hurricanes, incluindo 20 defesas apenas no 3º período. A performance do Sueco mereceu rasgados elogios do seu treinador, John Tortorella.

“Foi o melhor jogo que alguma vez o vi jogar”, disse Tortorella.

A vitória coloca os Rangers na 7ª posição com 42 pontos, empatados com os Islanders.

Hurricanes põem fim a série de derrotas

Pelo menos por um jogo, Justin Peters fez esquecer Cam Ward. Ele tem tido dificuldades desde as lesões de Ward e Dan Ellis, mas foi decisivo este sábado na vitória por 3-1 sobre os Winnipeg Jets.

Peters fez 34 defesas e ajudou os Canes a acabarem com uma série de 7 derrotas consecutivas, que quase hipotecou as suas hipóteses de apuramento para os Playoffs.

Eric Staal e Alex Semin continuam a liderar o ataque da equipa, somando mais um golo e uma assistência cada um. Com esta vitória, reacende-se a esperança para os lado de Raleigh. Os Hurricanes têm 34 pontos, apenas um ponto atrás dos Islanders (9º lugar) e dos Rangers (8º).

A divisão também ainda não está perdida. Com 15 jogos para o fim da época regular, os Hurricanes estão a 4 pontos dos Jets, mas a equipa de Winnipeg têm mais três jogos realizados.

Será Peters capaz de levar esta equipa aos Playoffs? Ou terão os Hurricanes que adquirir um guarda-redes no trade deadline?

Jussi Jokinen posto nos waivers

Com o regresso de Chad Larose depois de uma concussão, os Hurricanes colocaram Tim Wallace e, surpreendentemente, Jussi Jokinen nos waivers.

A produção de Jokinen vem caindo de uma forma consistente, com 65, 52 e 46 pontos nos últimos 3 anos. Com as aquisições de Jordan Staal e Alex Semin, a importância de Jokinen diminui, tal como o seu tempo de jogo.

O Finlandês tem 5 golos e 10 pontos em 30 jogos esta época, por isso uma mudança de cenário até pode ser o melhor para ele, mas o contrato de $3 milhões de dólares pode ser um obstáculo.

Este não é um preço muito elevado por um avançado de 29 anos, se ele conseguir recuperar a boa forma, mas os Hurricanes estão numa situação difícil em termos de tecto salarial depois do contrato de Semin.

Os Hurricanes não têm qualquer intenção de o pôr nos minors. Apenas querem livrar-se do seu contrato. Tendo em conta a qualidade que ele já demonstrou no passado, não deve demorar muito tempo até ser reclamado por outra equipa.

Semin renova com os Hurricanes

Os Carolina Hurricanes assinaram contrato com Alex Semin por 5 anos, no valor de $35 milhões de dólares.

“Estamos muito contentes por pudermos contar com o Alex nos próximos 5 anos” disse Jim Rutherford, GM dos Hurricanes. “Ele é um jogador de elite e tem sido um contribuidor importante na nossa 1ª linha.”

Semin tinha assinado um contrato de 1 ano por $7 milhões no último verão, depois de ter passado os primeiros anos da sua carreira nos Washington Capitals.

Apesar do seu incrível talento ofensivo, dúvidas sobre o seu grau de empenho e determinação afastaram outras equipas. Os Hurricanes apostaram, deram-lhe um ano para provar o que vale e é isso que ele tem feito.

O Russo tem estado a marcar um ponto por jogo em Carolina, ao lado de Eric Staal e Jiri Tlusty, formando uma das linha mais potentes de toda a NHL. Semin leva 8 golos e 22 assistências em 30 jogos. Incluindo aquela beleza ali em cima.