Primeira ronda do Draft da NHL recheada de motivos de interesse

hi-res-44ec5ad396ad2cef31527957af50049b_crop_north

A primeira ronda do Draft da NHL realizou-se ontem e não foi parca em acontecimentos que merecem discussão. Apesar do ponto alto da noite ser a realização de um sonho para 30 miúdos de 18 anos, que sacrificaram muito para poderem estar ali, o Draft é sempre um dia de especulação sobre o futuro das equipas. Este ano não nos pudemos queixar. Tivemos duas trocas importantes e muitos motivos de conversa.

Ryan Kesler muda-se para Anaheim

A acção começou ainda antes do Draft. Os Anaheim Ducks adquiriram Ryan Kesler aos Vancouver Canucks, em troca de Nick Bonino, Lucas Sbisa e a 24ª escolha no Draft. Os Ducks são sempre uma equipa forte todos os anos, impulsionados pela dupla Ryan Getzlaf/Corey Perry, mas falta-lhes qualquer coisa para entrarem na lista exclusiva de candidatos à Stanley Cup. Um dos problemas dos Ducks tem sido a dependência da 1ª linha e a falta de um centro de 2ª linha. Com Kesler, esse problema fica resolvido, e ainda permite retirar algumas responsabilidades defensivas a Getzlaf.

Os Canucks têm um novo GM e uma nova atitude. Jim Benning não perdeu tempo em mexer na equipa. Depois de trocar Kesler, também se livrou do contrato pesado de Jason Garrison para os Tampa Bay Lightning. Com estas duas trocas, os Canucks libertaram muito espaço salarial e espera-se que sejam uma das equipas mais movimentadas na free agency.

O Público de Filadélfia

Os adeptos de Filadélfia são dos mais aguerridos da NHL. Quando toca a defender os seus Flyers, ninguém escapa. Quem não podia sair de Filadélfia sem uma boa assobiadela era Gary Bettman. O comissário da liga é desprezado na grande maioria das cidades que acolhem as equipas da NHL, mas os adeptos dos Flyers têm-lhe um ódio especial. Mal Gary Bettman subiu ao palco para dar início ao Draft, começaram os assobios. O comissário não se mostrou incomodado, tentou brincar com a situação, perguntando se aquela não era a Cidade do Amor Fraternal, mas nada conseguiu parar os adeptos mais fervorosos.

Os apupos não se limitaram a Bettman. Na leitura da ordem do Draft, o público brindou todas as equipas, à excepção dos Flyers claro, com um apropriado “YOU SUCK”. Quando os Pittsburgh Penguins, rivais do estado da Pensilvânia, subiram ao palco para fazerem a sua escolha, a assobiadela ainda foi mais forte do que a de Bettman. É chato para os miúdos, serem assobiados num dia de festa. Mas este é o espírito dos fãs da NHL, os mais apaixonados de todos os desportos. Assim sempre se vão habituando ao ambiente do Wells Fargo Center.

Aaron Ekbald acabou mesmo por ser o 1º

Em muitas das listas, Ekblad aparecia como o melhor jogador deste Draft. Um defesa grande, com um slapshot temível e que, segundo a grande maioria dos olheiros, está pronto para a NHL. Os Florida Panthers tinham a 1ª escolha e chegaram a tentar trocá-la, mas as propostas acabaram por não serem suficientes para convencer Dale Tallon. O GM dos Panthers entrou no espírito da coisa e fez uma pausa para efeitos de suspense, antes de finalmente dizer o nome de Ekblad.

Leon Draisaitl fez história

Ao ser escolhido pelos Edmonton Oilers na 3ª posição, Leon Draisaitl tornou-se no alemão a ser seleccionado mais cedo num Draft da NHL, ultrapassando Marcel Goc que tinha sido o 20º jogador escolhido no Draft de 2001. Conhecido na Alemanha pela alcunha “The German Gretzky”, Draisaitl vê a sua entrada na NHL como uma oportunidade de fazer crescer o hockey no seu país.

Penguins despacham James Neal

Os Penguins mudaram toda a orientação da equipa. Jim Rutherford é o novo GM e quis deixar já a sua marca. Resta saber se foi pelo melhor. Os Penguins enviaram James Neal para os Nashville Predators, em troca de Patric Hornqvist e Nick Spaling. A verdade é que não se percebe muito bem o que é que os Pens ganham com esta troca. James Neal é um dos bons goleadores que há na NHL. Ele marcou 40 golos em 2010/11, ao lado de Evgeni Malkin. Vamos ver como é que os Penguins substituem esses golos.

Hornqvist também é capaz de marcar, mas não tem o remate de Neal. É um jogador que gosta de ir para a frente da baliza e encostar. Nick Spaling é jovem e polivalente. Pode ajudar a resolver o problema da profundidade das linhas secundárias dos Pens. No entanto, nenhum deles tem a qualidade de Neal e, em termos de salary cap, os Penguins ficam praticamente na mesma.

Islanders sobem no Draft para escolher jogador problemático

Os Islanders trocaram para puderem escolher Josh Ho-Sang, jogador que tinha dado muito que falar. Ho-Sang era um dos avançados mais talentosos à partida para o Draft, mas caiu nas listas devido à sua atitude arrogante. Isso levou a questões sobre a sua personalidade e capacidade de se integrar numa equipa, o que não impediu os Islanders de arriscar. Quando inquirido sobre a polémica à volta de Ho-Sang, o GM dos Islanders Garth Snow respondeu à letra.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s