Quem é o responsável por mais um colapso dos Pittsburgh Penguins?

490241177_slide

Este pode ser o fim dos Penguins tal como os conhecemos. Pela 5ª época consecutiva, os Pittsburgh Penguins foram eliminados dos Playoffs por uma equipa que ficou atrás de si na época regular. Desta vez os carrascos foram os New York Rangers, que venceram o Jogo 7 por 2-1, conquistando um lugar na Final da Conferência Este.

Foi a 2ª vez em 4 anos que os Penguins desperdiçaram uma vantagem de 3-1 na eliminatória, só para serem eliminados no Jogo 7, em casa. É também a 4ª vez em 5 anos que os Penguins terminam nos primeiros 3 lugares da Conferência Oeste e não conseguem passar da 2ª ronda dos Playoffs. Tudo isto aconteceu durante a chefia de Dan Bylsma e Ray Shero.

Bylsma poderá ser o primeiro a sofrer as consequências desta derrota, apesar de não ser o principal responsável. Ele é competente e não irá ter dificuldades em encontrar trabalho na NHL. Ele conseguiu levar os Penguins ao 2º lugar na Conferência Este, apesar de terem sido uma das equipas que mais sofreu com lesões durante a temporada.

O problema mais fundamental dos Pittsburgh Penguins é que, apesar de terem Crosby e Malkin, Ray Shero não conseguiu construir uma equipa forte à sua volta. O General Manager dos Pens não conseguiu identificar as falhas do seu plantel e reforçá-lo de maneira apropriada.

Apesar de dois Playoffs horríveis de Marc-Andre Fleury em 2011 e 2012, Shero confiou no seu guarda-redes. Ele não foi tão mau como no ano passado, mas foi inconsistente nesta eliminatória contra os Rangers. Jogou mal no Jogo 1. Foi fantástico no Jogo 2, 3 e 4. E não conseguiu mais do que 90% de defesas nos últimos 3 jogos.

Ray Shero iniciou-se como GM dos Penguins em Maio de 2006 e herdou uma equipa que já tinha Malkin e Crosby. As suas escolhas no draft são muitas vezes elogiadas, principalmente na defesa, mas a verdade é que ainda nenhum desses jovens faz parte do plantel principal. A sua gestão de activos deixou muito a desejar e desperdiçou os melhores anos de Malkin e Crosby.

Os Rangers são um excelente exemplo daquilo que falta aos Penguins. Profundidade é tudo nos Playoffs e os Rangers têm muita. A sua terceira linha composta por Derick Brassard, Mats Zuccarello e Benoit Pouliot, fez 6 golos e 7 assistências nesta eliminatória. O centro da 4ª linha, Brian Boyle marcou o golo inaugural do Jogo 7.

Enquanto Crosby teve apenas 1 golo em 7 jogos, a estrela dos Rangers, Rick Nash, ainda não marcou nenhum nos Playoffs. No entanto, a diferença entre as equipas está nas linhas secundárias, com os jogadores de segunda linha dos Rangers a contribuírem ofensivamente, enquanto os dos Penguins não. Se as estrelas não produzirem, os Rangers têm outras soluções.

Também ajuda que Henrik Lundqvist tenha defendido 102 dos 105 remates que os Penguins fizeram nos últimos 3 jogos. Isso é algo que os Penguins nunca vão conseguir ter em Fleury. Outro GM mais esperto tinha percebido isso.

As críticas também vão chegar a Crosby. O melhor jogador do mundo esteve abaixo do esperado e perdeu a cabeça nos momentos decisivos, mas não lhe foram dadas as melhores condições para ganhar. Se os Penguins querem tirar partido de uma das melhores duplas de sempre da NHL, vão ter que fazer mudanças. E essas mudanças têm que começar pelo topo da pirâmide.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s