Mike Gillis quer Canucks de volta ao seu estilo

117092315_slide

O GM dos Vancouver Canucks, Mike Gillis, deu uma entrevista fora do normal esta quinta-feira. Em directo numa radio de Vancouver, Gillis não ofereceu as respostas aborrecidas e os clichés do costume. O principal responsável pelos destinos dos Canucks tinha uma confissão a fazer. Ele admitiu que nos últimos dois anos a equipa se afastou da sua ideia de jogo.

Eu quero ver-nos a jogar um hóquei rápido, em posse, com transições rápidas e a tentar provocar o erro do adversário. Temos os jogadores para isso, e se não tivermos vamos passar a ter. Essa é a minha visão. É assim que eu acho que se ganha na Conferência Oeste. Se olharem para as melhores equipas do Oeste todas jogam neste estilo.

Ou seja, Mike Gillis quer que os Canucks voltem a ser a equipa ofensiva que marcou 2.94 golos por jogo na época de 2011/12. Não a que marcou apenas 2.34 esta época. Ele quer que os Canucks se libertem ofensivamente e lutem pelo titulo da Divisão. Não quer o sistema defensivo que John Tortorella montou para lutar pelo último lugar de apuramento.

Isto ajuda a reforçar os rumores que diziam que a contratação de Tortorella não tinha sido do agrado de Gillis. Alguns insiders acreditam que foi Francesco Aquilini, o dono dos Canucks, o principal responsável pela escolha do antigo treinador dos New York Rangers, como uma forma de mudar o estilo de jogo da equipa e assim obter melhores resultados.

Os resultados vieram a dar razão a Gillis. Tortorella não se enquadrou no estilo dos Canucks, tentou mudá-lo à força e falhou redondamente. Agora que Gillis parece decidido a voltar ao estilo original, será Tortorella capaz de mudar?

O John é um treinador bem sucedido. Um competidor. Esta época é difícil de descrever. Muitas coisas aconteceram e nós não estávamos preparados para muitas delas. Ele, tal como eu, vai ser avaliado no fim da temporada e as decisões serão tomadas. Há 6 anos, o Alain Vigneault também mudou o seu estilo de jogo. Dados os recursos e os jogadores que nós temos, acho que qualquer treinador consegue por a equipa a jogar da maneira que pretendemos.

Apesar das palavras simpáticas, parece haver uma clara clivagem entre GM e treinador, em termos daquilo que pretendem ver a equipa fazer no gelo. Fica claro que a direção irá ter que escolher entre um deles. Ou mantém a confiança no novo rumo que escolheram, ou voltam ao estilo que lhes trouxe algum sucesso no passado.

Eu dou razão a Gillis neste duelo de estilos. O plantel dos Canucks nunca poderá jogar com eficácia o sistema de Tortorella. Mas ele também cometeu erros grosseiros que contribuíram para a actual situação do clube.

A reação precipitada à derrota no Jogo 7 da Final da Stanley Cup de 2011 levou a uma série de decisões menos acertadas por parte de Gillis. Apesar dele não admitir, aquele jogo fê-lo questionar os seus princípios. Tudo culminou na maneira desastrosa como ele lidou com o problema Luongo/Schneider.

É um bom sinal para os Canucks que Gillis tenha percebido que este não é o caminho certo, mas não sei se será ele a realizar essa mudança. A vontade dos adeptos é começar tudo de novo, e isso também inclui a mudança de General Manager.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s