Crónica: Canadiens 1 – 4 Red Wings

Os Montreal Canadiens têm estado em queda livre nos últimos jogos. A equipa que esteve na luta pelo 1º lugar da Divisão Atlântico, está agora numa espiral de maus resultados, com 6 derrotas nos últimos 10 jogos. Para já ainda se encontram em lugar de apuramento para os Playoffs, mas a este ritmo isso pode mudar rapidamente.

O plantel é bom, constituído por jovens com grande potencial, como Brendan Gallagher, Max Pacioretty e Alex Galchenyuk, para além de contar com um dos melhores defesas da NHL, P.K. Subban. Mas há qualquer coisa de errado nesta equipa. Eles não conseguem tomar conta de um jogo como faziam na época passada e as críticas começam a ser dirigidas ao treinador, Michel Therrien.

Therrien está na sua 2ª passagem pelos Canadiens e é conhecido por ser um treinador de métodos rígidos e muito focado no lado defensivo do jogo. Toda essa preocupação com a defesa parece ter minimizado a principal arma desta equipa: a velocidade no contra-ataque. Os jogadores estão demasiado recuados no terreno e têm dificuldade em lançar os ataques rápidos que aterrorizaram a Conferência Este no ano passado.

Mesmo com um posicionamento mais conservador, os Canadiens cometem erros defensivos primários, e isso custou-lhes o jogo frente aos Red Wings, ontem à noite.

Um dos momentos mais importantes num jogo de hóquei no gelo é a troca de linhas. Se não for feito com toda a precisão pode dar mau resultado. Normalmente, o treinador grita o nome do centro da linha que vai entrar, e os alas dessa linha já sabem que vão entrar também. Quando os jogadores que estão no gelo se preparam para sair, os que vão entrar gritam o nome do jogador com quem vão trocar. Se houver falha de comunicação do treinador ou dos jogadores, a equipa pode ser penalizada por ter demasiados homens na pista.

Outro factor importante a ter em conta na troca de linhas é quando a fazer. Nunca se faz um troca quando o adversário tem a posse do disco na nossa zona defensiva. O ideal é fazer a troca quando o disco está na zona defensiva do adversário, ou a ir nessa direcção. O mais seguro é despejar o disco para trás da baliza contrária, obrigando a equipa adversária a ir buscá-lo e dando tempo para se proceder à troca.

Pois os Canadiens não fizeram nada disso no golo que pôs um ponto final no jogo de ontem. Três jogadores decidiram trocar quando o disco estava a ser recuperado pelos Red Wings na zona neutral. Rapidamente a jogada se desenvolveu num 3 para 1, com o resultado que seria de esperar.

Untitled-1

Mesmo sem Pavel Datsyuk, os Red Wings aproveitaram muito bem os erros dos Canadiens e venceram confortavelmente por 4-1. Michel Therrien tem que fazer qualquer coisa, se não quer ver a sua equipa cair para fora dos lugares de apuramento, ou até mesmo ser despedido antes disso.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s