Quantos mais remates podem aguentar os guarda-redes dos Leafs?

Até agora, a única coisa que os Toronto Maple Leafs têm feito bem é ganhar. Claro que essa é a parte mais importante, mas ganhar jogos sem ser melhor que o adversário não é um bom indicador para o futuro.

O lugar dos Leafs na tabela classificativa não combina com a capacidade da equipa em 5-contra-5. Apesar de liderarem a Divisão Atlântico, os Leafs são 12º em golos marcados e 16º em golos sofridos, e até Randy Carlyle já admitiu. Os guarda-redes e as equipas especiais estão a mascarar os verdadeiros problemas desta equipa.

No jogo de sábado frente aos Vancouver Canucks, a máscara caiu. Os Leafs foram massacrados pelos Canucks, naquele que Carlyle chamou “o pior jogo da época”. A culpa foi de toda a gente menos de James Reimer. Quando o guarda-redes faz 43 defesas e mesmo assim se perde 4-0, alguma coisa correu terrivelmente mal.

Os Leafs têm sido horríveis na zona defensiva esta época. O péssimo controlo do disco leva a turnovers e muitas oportunidades de golo para os adversários, que depois têm que ser resolvidas por Reimer ou Bernier. Ainda bem que os Leafs têm dois guada-redes competentes. Não sei se um sozinho aguentaria a quantidade de remates que os Leafs permitem. Já lá vão 505 remates sofridos só no mês de outubro.

A época passada não foi muito diferente. Os Leafs sofreram 32.3 remates por jogo, enquanto só produziram 26.3. Esta época estão a produzir aproximadamente o mesmo, mas concedem mais remates (36.1). Três remates por jogo faz muita diferença. Se tivermos em conta que, em média, a cada 10 remates um é golo, isso dá um golo a mais a cada 3 jogos.

Outro motivo de preocupação é o penalty kill. Os Leafs concederam 41.9 remates por 60 minutos em 4-contra-5 na época passada, o 5º melhor registo da liga. Esta época? 64.8, o 3º pior registo.

Com a ausência de especialistas como Nikolai Kulemin e Mark Fraser por lesão, Carlyle tem sido obrigado a utilizar jogadores menos indicados para este papel, como JVR e Mason Raymond. A verdade é que o penalty kill dos Leafs tem sido segurado por dois guarda-redes em grande forma, mas não sabemos durante quanto tempo mais isso vai durar. Vamos ver se como regresso de Kulemin e Fraser as coisas melhoram, ou se o problema é sistémico.

Tal como na época passada, os Leafs dependem demasiado dos seus guarda-redes e da sorte que os tem acompanhado. Com mais 41 jogos para realizar, é provável que entretanto essa sorte chegue ao fim.