Blogger descobre problemas financeiros dos Senators

Numa silly season mais silly do que o habitual, a história de Travis Yost tem passado despercebida no calor dos dias de verão. Yost é um blogger que passou o verão a investigar a fundo a situação financeira dos Ottawa Senators e do seu dono, Eugene Melnyk. Uma reportagem detalhada do Ottawa Citizien veio confirmar grande parte das afirmações de Yost e trazer esta história aos olhos de um público mais generalizado.

Segundo o jornal da capital do Canadá, os Senators têm uma dívida que chega aos $94 milhões de dólares, que terá levado a uma intervenção da liga para evitar um episódio semelhante ao que aconteceu com Jim Vanderbeek e os New Jersey Devils. Mas, Travis Yost foi o primeiro a denunciar o colapso financeiro do império de Melnyk.

site Hockeybuzz é conhecido pelo seu sensacionalismo, mas tem em Yost um escritor talentoso e que cumpre todas as regras do jornalismo de investigação, nunca utilizando nada para além de factos (mais ou menos comprovados) nas suas peças. Numa série de 10 artigos publicados entre 2 de Julho e 25 de Agosto, Yost narrou com provas documentadas o declínio dos negócios de Eugene Melnyk.

Tudo começou em Julho com a polémica em redor do antigo capitão dos Senators, Daniel Alfredsson. Segundo Brian Murray, os Senators passaram um cheque em branco a Alfredsson e prometeram ao sueco reforçar a equipa para um ataque forte à Stanley Cup. Mas ao mesmo tempo, Eugene Melnyk disse à imprensa que se Alfredsson tivesse ficado, os Senators não poderiam ter adquirido Bobby Ryan.

Foi graças a esta e muitas outras inconsistências no discurso de Melnyk ao longo dos anos que Yost conseguiu comprovar um rumor que circulava já há algum tempo: os Senators operam com um tecto salarial interno. Segundo Yost e confirmado pelo Ottawa Citizen, apesar de o tecto salarial se situar nos $64 milhões de dólares, os Senators não podem gastar mais do que $50 milhões por ordem do seu dono. Assim se explica a impossibilidade de ter Alfredsson e Ryan na equipa.

A partir deste facto, Yost começou a investigar as finanças de Melnyk e descobriu que o magnata da industria farmacêutica tem perdido bastante dinheiro nos últimos anos. Depois de vender a gigante Biovail que ele próprio fundou em 1989, reinvestiu o dinheiro em duas startups farmacêuticas, a Trimel e a PurGenesis. No entanto, o investimento não correu como o esperado.

Sendo duas empresas que actuam no mercado da biotecnologia, a Trimel e a PurGenesis precisam de um forte investimento nesta fase inicial e será pouco provável que comecem a dar lucro num futuro próximo, não sendo seguro que alguma vez venham a dar. A Trimel perdeu valor na bolsa de forma consecutiva durante os anos de 2012 e 2013, o que levou Melnyk a vender a sua participação na empresa, passando de 58.9% para 29.5%. Por outro lado, a antiga Biovail, agora com o nome Valeant, recuperou grande parte da sua importância, valendo agora mais de $100 dólares por acção, depois de Melnyk ter vendido as suas por $20 dólares cada em 2007.

Se a tudo isto juntarmos um divórcio litigioso que pode render à ex-mulher de Melnyk mais de $100 milhões de dólares, percebemos a profundidade dos problemas financeiros do dono dos Senators. Travis Yost vai mais longe e afirma que todos os negócios de Melnyk são geridos como um todo, incluindo os Ottawa Senators. Para fazer essa afirmação, Yost recorre ao currículo de Brian Crombie, conselheiro financeiro e braço direito de Melnyk.

No seu currículo, Crombie faz referência ao seu papel em todos os investimentos de Melnyk (Biovail, PurGenesis, Trimel), menos na aquisição dos Senators. Curiosamente, é no capítulo dedicado à Trimel que Crombie refere a sua participação na aquisição e várias recapitalizações da equipa de Ottawa. Uma fonte de Yost afirma também que a equipa terá sido comprada com recurso a um empréstimo que ainda estará a ser pago, e é por esse motivo que os Senators não dão lucro.

Tudo isto foi recolhido e investigado por Yost, permitindo-lhe concluir que Melnyk colocou um tecto salarial interno nos Senators para compensar algum do dinheiro que perdeu noutros negócios, algo que não agrada nada à liga que procura sempre que as equipas dêem o maior lucro possível.

Melnyk foi rápido a desmentir quaisquer dificuldades financeiras. Bill Daly afirmou que a liga não tem dado nenhuma atenção especial à situação dos Senators. No entanto, os desenvolvimentos do dia 24 de Agosto tornaram este caso ainda mais complicado. O site Hockeybuzz sofreu um ataque informático e todos os artigos de Travis Yost foram apagados, tal como a sua conta no Twitter.

Numa tentativa de perceber o que se tinha passado, Yost descobriu um endereço IP associado ao ataque. Esse endereço está ligado a uma instituição de solidariedade na Ucrânia, chamada “Help Us Help The Children”. Uma pesquisa rápida no Google e um nome familiar apareceu como presidente desta instituição: Eugene Melnyk. E adivinhem quem estava na Ucrânia nos dias em que tudo se passou…

Talvez o encerramento da conta no Twitter seja já uma precaução para um futuro processo judicial. Se isso acontecer, este promete ser um dos casos quentes da próxima época. Por muito que Bill Daly tente dispersar atenções, não acredito que Gary Bettman não esteja preocupado. Ele não quer que se repita em Ottawa o que aconteceu em New Jersey, onde chegou a haver incumprimento por parte dos Devils. Ainda mais numa altura em que (alegadamente) a liga pensa em expansão.

Para quem quiser saber mais sobre a investigação de Travis Yost, aqui ficam todos os seus artigos dedicados à situação financeira de Eugene Melnyk, por ordem cronológica: 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s