Lundqvist frustrado depois de derrota no Jogo 1

Os New York Rangers chegaram à segunda ronda em grande parte devido à excelência de Henrik Lundqvist. Ele não joga sozinho, mas é de longe o melhor jogador dos Rangers e contribuiu muito para a vitória sobre os Capitals, não sofrendo qualquer golo no Jogo 6 e 7.

No jogo de abertura da segunda eliminatória frente aos Boston Bruins, Lundqvist fez 45 defesas e, mesmo assim, não conseguiu evitar a derrota por 3-2 no prolongamento. No fim da partida, o guarda-redes Sueco não escondeu os seus sentimentos.

“Joguei mal no prolongamento? Não. Posso marcar golos? Não. É frustrante? Sim. É terrível perder no prolongamento, mas apenas tenho continuar em frente, jogar o meu jogo e esperar que as coisas mudem”, disse Lundqvist.

Lundqvist não rejeitou as suas responsabilidade e assumiu a culpa no golo de Brad Marchand que decidiu o jogo. “Acho que tomei um má decisão nesse lance”, disse Lundqvist. “Estava demasiado concentrado no disco. Eu sabia que ele ia tentar por o disco entre as minhas pernas, mas estava a prestar mais atenção ao disco.”

Não me parece que Lundqvist seja mal batido no golo. Aliás, ele foi bom demais. Lundqvist consegue ir de um lado ao outro da baliza em muito pouco tempo, não por ser muito atlético, mas devido à sua grande capacidade de ler a jogada. Ele foi tão rápido a reagir, que conseguiu chegar ao lado direito da baliza ainda antes de Marchand rematar. Só que isso deixou espaço entre as suas pernas, que Marchand soube aproveitar.

Mas Lundqvist fez o seu papel. Criticou a equipa, pediu mais apoio, e depois admitiu os seus próprios erros, dando um sinal positivo ao balneário. Vamos ver se os colegas aceitam a crítica da melhor maneira e começam a fazer mais para ajudar o seu guarda-redes.

É certo que as declarações de Lundqvist foram feitas no calor do momento, mas existem nelas um fundo de verdade. Os Rangers geram apenas  27.2 remates por jogo em 5-contra-5, o segundo pior registo de todas as equipas ainda em competição, e permitem 33.2 remates contra a sua baliza.

powerplay dos Rangers tem sido ridículo nestes Playoffs, com uma percentagem de sucesso de 6.4%. Para pôr em perspectiva  a segunda pior equipa no powerplay são os Bruins com 16.7% de sucesso. Ah. E a melhor equipa com a vantagem numérica são os Penguins com 36%. 30% mais que os Rangers!

O tamanho da amostra é pequena, e por isso não podemos tirar grandes conclusões destes números. Mas são sempre os pequenos períodos de ascensão ou de declínio que fazem a diferença nos Playoffs.

Lundqvist está a fazer a sua parte. Ele tem 95.3% de defesas em 5-contra-5. Só Craig Anderson fez melhor até agora (95.4%). O ataque e o powerplay dos Rangers têm que encontrar o seu ritmo e aproveitar as fragilidades da defesa dos Bruins.

As lesões de Ference, Seidenberg e Redden obrigaram Chara a jogar 38 minutos (!?) no Jogo 1. Metade dos defesas dos Bruins são rookies (Hamilton, Bartkowski e Krug). Uma equipa como os Rangers devia tirar partido deste momento para ganhar uma vantagem decisiva na eliminatória. Se não forem capazes de o fazer, resta a Lundqvist ser perfeito.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s