Leafs Despedem Brian Burke

Vantagem de estar desempregado: não preciso de usar mais gravata.

Quando eu procurava assentar as ideias sobre o recentemente extinto lockout… BAMM! Mesmo no meio da cara! Toronto Maple Leafs despedem Brian Burke! Foi como ir contra uma porta de vidro. Ninguém estava à espera.

Brian Burke será substituído pelo seu assistente, Dave Nonis. Nonis já tem experiência no cargo, e mais concretamente a substituir Burke, depois de ter tomado o seu lugar como General Manager dos Vancouver Canucks em 2004.

Não é que o trabalho de Burke tenha sido excepcional, mas o timing é estranho. A 10 dias do começo de uma época reduzida, quando se aproxima uma semana vertiginosa, em que há trocas para fazer e uma equipa para construir. É esquisito.

E quando as coisas são esquisitas, abre-se espaço à especulação. As más línguas dizem que Burke se recusou a aceitar as condições exigidas pelos Vancouver Canucks para a troca de Roberto Luongo. São só rumores, mas se for verdade é um mau sinal para o futuro dos Leafs.

Em Agosto,  o consórcio Rogers e Bell, dono do monopólio dos media da capital canadiana, assumiu o controlo da Maple Leafs Sports Entertainement, empresa responsável pela gerência das principais equipas desportivas da cidade (Maple Leafs, Raptors, Toronto FC e Marlies). Era expectável que os novos donos fizessem alterações na organização, mas esperar cinco meses para despedir Brian Burke parece disparatado, o que reforça a ideia de um desentendimento recente entre o GM e a gerência.

Se os novos donos vão começar a interferir nas decisões do GM, eu temo pelos meus Leafs. Executivos a meterem o nariz na gestão de uma equipa nunca resultou e não é agora que vai resultar.

Sou um fã de Burke como pessoa. Ele sempre me pareceu uma pessoa com dignidade e de convicções fortes. Mas muitas dessas convicções acabaram por prejudicar a equipa. A sua recusa em utilizar o poder económico dos Leafs para atrair os melhores free agents através de contratos que violam o espírito das regras, apesar de admirável, dificultou o seu próprio trabalho.

A troca de Phaneuf foi um marco do reinado de Burke. A troca de Kessel, uma mancha. É claro que nada é perfeito, e se ele tivesse mais tempo talvez conseguisse levar os Leafs ao sucesso. Mas Burke teve a sua oportunidade, quis reconstruir depressa demais e cometeu erros que acabaram por conduzi-lo ao falhanço.

Dito isto, não me parece que esta foi a melhor altura para a gerência se aperceber que os Leafs precisam de uma nova liderança. Numa época que já vai ser condicionada, colocar mais uma dificuldade a uma equipa que não é das mais fortes, nem psicológica nem tecnicamente, não me parece uma boa decisão de gestão.

Burke merecia ser despedido? Sim. Mas nesta altura? Por esta razão? Não.

2 thoughts on “Leafs Despedem Brian Burke

  1. Excelente artigo,concordo com quase tudo. O maior erro do Burke foi permitir ao Ron Wilson jogar um modelo de jogo que não se enquadra com o que Burke queria para os Leafs.
    A troca do Kessel foi intermitente.Burke achava que o Toronto estava proximo dos play-offs. O que ele não aprendeu com o trabalho em Vancouver (muito bom trabalho) é que podes ter muito talento mas não vais ganhar nada no NHL se o teu guarda-redes é o Dan Cloutier. A equipa tem que ser construída da baliza para a frente. O Burke deixa os Leafs com muito depth” nos Marlies e boas escolhas no draft.

    1. Obrigado por leres e deixares um comentário, Paul. Eu também tenho sentimentos misto em relação à troca do Kessel. A verdade é que Kessel é o melhor jogador dos Leafs, mas o que os Bruins receberam em troca acabou por ser melhor. Seguin será um dos melhores jogadores da NHL dentro de poucos anos, ou até já o é.

      Estou completamente de acordo quanto ao Ron Wilson, mas ele já lá estava quando o Burke assumiu o cargo, e ainda por cima eles não se davam muito bem. Agora em retrospectiva, ele até aguentou o Wilson muito tempo, mais do que devia. Só agora com o Carlyle é que ele tem um treinador à sua imagem. Agora quem não está lá é ele…

      Curioso falares no Cloutier. Quando o Dave Nonis substituiu o Burke em Vancouver, as primeiras grandes movimentações que fez foi trocar pelo Luongo e mandar o Cloutier para LA por uma 2ª ronda, coisa que ele nunca valeu. E também foi ele que escolheu no draft o Schneider, o Edler e o Raymond. Se conseguir fazer o mesmo nos Leafs, dou-me por satisfeito.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s