Flyers Acordam Tarde Mas a Tempo de Ganhar Jogo 1

Eu gosto de acreditar que todos temos uma razão para nascer. Alguns de nós nascem para estar vivos, outros nascem nos USA e outros nascem para serem selvagens. Danny Briere nasceu para marcar golos nos Playoffs.

Com os dois golos que marcou na vitória dos Flyers por 4-3 sobre os New Jersey Devils, Briere soma já 7 golos nos Playoffs da Stanley Cup 2012. Durante toda a sua carreira, Briere tem 49 golos e 57 assistências em 104 jogos nos Playoffs.

Briere parece ser um jogador talhado para os grandes momentos, e apesar de ser produtivo na época regular (0.791 pts/jogo), é nos Playoffs que ele se sente em casa e os números não enganam (1.01 pts/jogo).

Contudo, Briere precisou de duas tentativas para decidir o jogo no prolongamento. Com o jogo já no tempo extra, o jogador dos Flyers empurrou o disco para o fundo da baliza com o seu patim esquerdo e viu o golo ser anulado.

Briere já tinha empatado o jogo a 1 no 2º período, assistido por Jakub Voracek. James Van Reimsdyk e Claude Giroux marcaram os restantes golos dos Flyers e Bryzgalov fez 23 defesas. Os Flyers não começaram nada bem o jogo e o Russo fez algumas defesas que mantiveram a sua equipa no jogo.

Zach Parise foi o grande destaque dos New Jersey Devils, com 1 golo e 1 assistência. Travis Zajac e Petr Sykora também marcaram. Martin Brodeur teve culpa em alguns golos, mas acabou o jogo com 32 defesas e foi graças às suas 14 defesas no 3º período que o jogo foi a prolongamento.

O Jogo 2 será disputado no Wells Fargo Center na madrugada de terça para quarta-feira.

Anúncios

Quick Rouba Jogo 1

Jonathan Quick é um dos finalistas a ganhar o Vezina Trophy, o prémio atribuído ao melhor gurada-redes da época regular. Ontem à noite, no Jogo 1 da Semi-Final da Conferência Oeste, o guarda-redes dos Los Angeles Kings voltou a mostrar a sua qualidade.

Quick fez 28 defesa na vitória por 3-1 sobre os St. Louis Blues. Slava Voynov, Matt Greene e Dustin Penner marcaram os golos dos Kings.

Apesar da derrota, os St. Louis Blues jogaram bem frente ao seu publico. Brian Elliott fez 26 defesas e David Backes abriu o marcador aos 9:16 do 1º período. Se não fosse a oposição de Jonathan Quick, os Blues podiam ter resolvido o jogo ainda nos primeiros 20 minutos de jogo. Andy McDonald e B. J. Crombeen tiveram duas grandes oportunidades mas não foram capazes de bater Quick.

Com o jogo empatado a 1 golo no 2º período, Dwight King foi penalizado com 2 minutos por empurrar Alex Pietrangelo contra as bordas. Durante o powerplay, Dustin Brown ganhou o disco a Kevin Shattenkirk, atacou a baliza e Matt Greene aproveitou o ressalto para fazer o 3º golo dos Kings em desvantegem numérica nestes Playoffs.

Os Blues não foram capazes de pressionar Quick de uma forma sustentada no último período do jogo, principalmente devido a terem estado durante 8 minutos com um jogador a menos. O Jogo 2 será realizado na segunda-feira no Scottrade Center em St. Louis.

Rangers Ganham Vantagem Na Eliminatória

Chris Kreider, 20 anos, estava há um mês em Tampa Bay a disputar o NCAA Frozen Four, onde fez parte da equipa de Boston College que derrotou na final Ferris State por 4-1. Três dias depois, Kreider assinou pelos New York Rangers e estava cada vez mais perto do sonho.

Kreider marcou um golo e fez uma assistência na vitória dos Rangers sobre os Washington Capitals no Jogo 1 da Semi-Final da Conferência Este. Com o Madison Square Garden ao rubro, Kreider foi um dos poucos jogadores que se mostrou ofensivamente.

Nenhuma das equipas conseguiu gerar oportunidades flagrantes de golo e ambas fecharam muito bem o caminho para a baliza. O jogo foi desempatado já no 2º período por Artem Anisimov, depois dos Capitals não terem aproveitado um powerplay de 5 contra 3.

Ruslan Fedotenko teve um papel essencial no penalty kill. O russo, vencedor de duas Stanley Cup, bloqueou um remate de Ovechkin e cortou várias linhas de passe que secaram o potencial ofensivo dos Caps.

Jason Chimera ainda empatou o jogo a 1 golo, mas Kreider e Brad Richards deram a vitória à equipa de Nova Iorque. O Jogo 2 será disputado na segunda-feira no Madison Square Garden.

Coyotes Vencem Jogo 1


Quanto vale a experiência de 21 anos a jogar na melhor liga de Hockey do mundo? Para os Phoenix Coyotes, muito. Ray Whitney, 39 anos, foi decisivo na vitória por 4-3 no Jogo 1 da Semi-Final da Conferência Oeste contra os Nashville Predators.

Com 5:58 por jogar no prolongamento, Martin Hanzal ganhou um faceoff na zona do adversário. O disco foi capturado por Whitney, que com uma jogada de determinação e esforço bateu Pekka Rinne.

Este foi o 5º jogo que os Coyotes ganharam no prolongamento, durante estes Playoffs. Mike Smith é certamente o principal responsável pela capacidade que a sua equipa tem em vencer jogos divididos.

Smith fez 39 defesas no jogo, muitas de grande dificuldade técnica. Ele não se deixou frustar pelo o azar que teve no 1º golo dos Predators, e defendeu 15 remates no 3º período.

Acabou por não ser suficiente, pois Martin Erat marcou no powerplay para levar o jogo a prolongamento. A dificuldade que a equipa de Phoenix tem para segurar lideranças de 1 golo no 3º período pode ser preocupante para o resto da eliminatória. É que do outro lado está um guarda-redes com capacidade para decidir esse tipo de jogos.

O Jogo 2 será disputado já amanhã e os Predators vão procurar uma vitória em casa do adversário, para assim rumarem a Nashville com mais tranquilidade.

Rangers e Devils Sobrevivem


Estão encontrados os 8 finalistas dos Playoffs da Stanley Cup 2012. Depois de a Conferência Oeste ter ficado definida na segunda feira, uma sequência de 3 Jogos 7 apuraram as equipas que faltavam do lado Este.

Henrik Lundqvist liderou os New York Rangers, na vitória por 2-1 sobre os Ottawa Senators. O Sueco fez 26 defesas e segurou as pontas em momentos de aperto para a defesa dos Rangers.

Os defesas dos Rangers jogaram tão bem à frente de Craig Anderson como à frente de Lundqvist. Marc Staal e Dan Girardi marcaram os 2 golos da equipa de Nova Iorque.

Daniel Alfredsson ainda conseguiu deixar a sua marca, naquele que pode ter sido o último jogo da sua carreira. Durante um powerplay no 2º período, “Alfie” disparou uma bomba que surpreendeu Lundqvist e recolocou os Senators na discussão do resultado.

No 3º período, os Rangers fecharam os caminhos para a sua baliza e garantiram um lugar na próxima ronda.

No 2º Jogo 7 da noite, os Devils precisaram de 2 prolongamentos para vencer os Florida Panthers, em Sunrise. O jogo foi um microcosmo da eliminatória.

Os Devils saltaram para uma vantagem de 2-0, com golos de Adam Henrique e Stephen Gionta. Os Panthers empataram com dois golos em powerplay no 3º período, por Stephen Weiss e Marcel Goc.

Adam Henrique deu a vitória aos Devils, apenas no 2º prolongamento. O luso-descendente marcou o 2º golo no jogo e o mais importante da sua jovem carreira.

Os New York Rangers vão agora defrontar Braden Holtby e os Washington Capitals, enquanto que os New Jersey Devils vão acertar contas com os seus rivais da Divisão Atlântica, os Philadelphia Flyers.

Caps Eliminam Campeões No Prolongamento Do Jogo 7

A eliminatória mais renhida na história dos Playoffs terminou com um golo no prolongamento do sétimo e decisivo jogo. Com a vitória por 2-1, os Washington Capitals eliminaram os campeões em título, Boston Bruins.

No momento de maior aperto, os veteranos dos Caps assumiram o jogo. Mike Knuble recuperou o disco, atacou a baliza e colocou-se à frente de Tim Thomas. Joel Ward aproveitou o ressalto e bateu o guarda-redes dos Bruins.

No primeiro período, Matt Hendricks abriu o marcador ao desviar um remate de John Carlson. Tyler Seguin empatou o jogo no 2º período, aproveitando um erro de Braden Holtby. Revelando uma maturidade anormal para a sua idade, Holtby não se deixou afectar, manteve-se calmo (mesmo quando ameaçado com um stick) e foi chave na manutenção do resultado no 3º período.

Os Capitals são agora uma equipa totalmente diferente do que eram no ano passado. Dale Hunter merece reconhecimento. Ele conseguiu implementar um esquema defensivo que torna esta equipa mais perigosa num ambiente de Playoffs.

Hunter manteve-se fiel à estratégia que usou nos últimos jogos e limitou o tempo de jogo de Alexander Ovechkin. Talvez seja uma maneira de motivar o russo, talvez seja dar tempo de gelo a quem o merece. A verdade é que Hunter sente confiança na 3ª e 4ª linha e elas retribuíram.

Os Capitals seguem para a próxima ronda e tentam recuperar fisicamente de uma série extremamente desgastante. Os Bruins deixaram a sua marca e isso vai-se sentir nos próximos jogos dos Caps.

Antevisão Jogo 7: Capitals Vs Bruins

Os Washington Capitals querem eliminar os actuais campeões da Stanley Cup. Para isso, Alexander Ovechkin e os Capitals vão ter que vencer o Jogo 7 na casa do adversário.

As duas equipas tem bastante experiência em jogos decisivos, mas com resultados muito diferentes. Os Capitals perderam 3 Jogos 7 nos últimos 4 anos, enquanto que os Bruins tiveram que vencer 3 para arrecadarem o título na época passada.

O factor casa, a experiência e a motivação de ter escapado da eliminação no Jogo 6, faz o favoritismo pender para o lado de Boston. Tyler Seguin e Milan Lucic deram sinais de subida de forma no último jogo, depois de 5 jogos marcados pela dificuldade de encontrar o caminho para a baliza. Talvez o “toque” de Tim Thomas tenha acordado os seus colegas de equipa…

Por falar em Thomas, ele é bem capaz de resolver o jogo por si só. Numa eliminatória em que não se tem exibido ao seu melhor nível, Thomas está a ser ofuscado pelo rookie Braden Holtby. Aquele que conseguir transmitir maior confiança terá um papel decisivo na definição do vencedor.

Holtby, por muito bom que tem sido nesta série, precisa que a equipa marque golos para retirar a pressão dos seus ombros.

Ovechkin mostrou-se descontente por ter jogado apenas 15 segundos nos últimos 14 minutos do Jogo 6. O russo não está a contribuir ofensivamente, mas ele é sempre um jogador a ter em conta e essencial na combinação de linhas. Mais tempo de gelo para Ovi significa mais tempo de gelo para Semin e Backstrom sem a presença imponente de Chara.

Pode-se especular, mas o jogo será ganho por quem o quiser mais, por quem chegar mais rápido ao disco, por quem ganhar as lutas das tabelas, por quem intimidar e frustrar o adversário.